Educação em Pauta

Como trabalhar as diferentes habilidades da criança em sala de aula?

Antigamente, a identificação das habilidades de um aluno era uma tarefa diretamente relacionada às disciplinas que ele aprendia na escola. Não raramente se perguntava “Você prefere português ou matemática?” para as crianças, mostrando apego aos componentes curriculares. Nessa época, a forma de “medir” a inteligência de um indivíduo era o teste de QI (quociente de inteligência), que avalia a capacidade de aprender símbolos e desenvolver o raciocínio matemático. Hoje, sabemos que essa avaliação se limita a apenas um certo tipo de inteligência: a lógico-matemática.

Mas, então, existem outros tipos de inteligência? Sim! Na década de 80, o cientista norte-americano Howard Gardner divulgou a teoria das inteligências múltiplas, que valoriza as diferentes habilidades que uma pessoa pode ter.

No universo da educação, conhecer todas as inteligências é fundamental para oferecer um ensino justo e ajudar os alunos a desenvolver todas as habilidades possíveis. Uma das consequências dessa prática, como já explicamos aqui no blog, é a formação de jovens com boa noção sobre suas competências e sobre as áreas em que desejam atuar no futuro.

Hoje, ao todo, existem oito tipos de inteligência:
 

1. Lógico-matemática

Base para os testes de QI, compreende a capacidade de criar e entender padrões, desenvolver equações e resolver cálculos.

2. Linguística

Habilidade de aprender idiomas, analisar a linguagem e também usá-la para transmitir ideias, ensinar, convencer, negociar e motivar, por exemplo.

3. Espacial

Inteligência relacionada com as artes visuais, a compreensão de imagens, a boa noção de proporção, a criação (ainda dentro da mente) de espaços complexos e a visão desses espaços em qualquer perspectiva.

4. Físico-cinestésica

Capacidade de coordenar o corpo para resolver problemas e expressar sentimentos. É notada em atividades atléticas, cênicas e de dança.

5. Interpessoal

Aptidão para reconhecer e entender os sentimentos, as intenções e os desejos dos outros, conseguindo boa relação em sociedade.

6. Intrapessoal

Habilidade de autoconhecimento, compreensão dos próprios sentimentos, motivações e padrões de comportamento. Pessoas com essa inteligência conseguem focar nas atividades em que apresentam maior domínio, mas também analisam e buscam desenvolvimento em seus pontos de melhoria.

7. Musical

Descreve a competência de quem consegue reconhecer notas musicais, reproduzir e criar melodias, tocar, apreciar e compor padrões musicais.

8. Naturalista

Esta inteligência se refere à compreensão do mundo natural, tipos de plantas, animais e formações climáticas.
 

COMO TRABALHAR AS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS NA ESCOLA?

Se antigamente era forte a relação entre habilidade do aluno e disciplina com a qual ele tem afinidade, hoje existem outras práticas para desenvolver as competências do estudante. Novos métodos de ensino e uso da tecnologia permitem ensinar com interdisciplinaridade facilitando a compreensão sobre as múltiplas inteligências.

Para valorizar essa pluralidade, a equipe pedagógica deve sempre levar em conta que todas as crianças nascem com potencial para desenvolver várias habilidades e, com base nesse princípio, trabalhá-las nas atividades em sala de aula. O mesmo conteúdo e/ou inteligência pode ser explorado de diferentes maneiras, em diversas disciplinas.

Escola, valorize todas as inteligências!

 

COMPARTILHE ESTE POST

Relacionados: