Professor Conquista

Como ensinar os alunos da geração Z?

Trabalhar com educação é viver em busca de atualização, antenado com as novidades que o mundo nos oferece, pois elas estão presentes na realidade de quem mais nos interessa: os alunos. Hoje, muitos deles pertencem à geração Z, que engloba os nascidos entre 1995 e 2010. Sabendo que a década de 1990 é marcada pelo “boom” da internet, já dá para fazer as contas, né? O resultado é um novo tipo de aluno, com pensamento acelerado e ações diferentes, fruto de uma relação cotidiana com a tecnologia. E aí os professores, diretores e coordenadores pedagógicos têm o desafio de aumentar a passada para acompanhar o ritmo desses estudantes e ajudá-los na jornada de descobertas que eles viverão durante a vida escolar.

Para ajudar nessa atualização, listamos algumas preferências dos estudantes da geração Z na hora de estudar. Elas foram apresentadas na pesquisa “The Next Generation of Learners” ou “A próxima geração de aprendizes”, em português:
 

FAÇA ATIVIDADES PRESENCIAIS EM GRUPO

Sabe aquele termo “senso de coletividade”, sobre o qual já falamos algumas vezes aqui no blog? A geração Z é uma das representantes desse pensamento. Para essas pessoas, pensar em algo que faça sentido para o meio em que se vive é algo natural. Eles sabem da força que têm quando estão unidos e conseguem usar isso ao seu favor. Por isso, para esses alunos, o melhor é aprender com os colegas e por meio de vivências que se apliquem a sua realidade. Não é à toa que essa geração assimila bem os conceitos do empreendedorismo. E com os materiais da Conquista, você pode confiar: sua escola está ensinando o que os alunos precisam e da forma que eles querem aprender!
 

UTILIZE O YOUTUBE COMO FERRAMENTA DE APRENDIZADO

Não é raro ver alguém da geração Z assistindo a vídeos em plataformas como o YouTube ou outras de streaming. É que, além do formato audiovisual, esse meio de informação e entretenimento oferece uma jornada individual, em que cada usuário busca as informações que deseja e constrói seu repertório de referências. Além disso, muitos desses vídeos não são de grandes produtoras ou empresas de comunicação. São produções de pessoas “comuns” que querem contribuir para a comunidade por meio de seus relatos e tutoriais. Isso remete ao senso de coletividade. Hoje, essas plataformas são um braço forte para a educação, permitindo a professores que se transformem em “Edutubers” e compartilhem videoaulas, técnicas e experimentos sobre os assuntos que o aluno aprende na escola. O acesso à informação é rápido, simples, mas nem sempre de boa qualidade, o que mostra que os papéis da escola e do professor continuam imprescindíveis.
 

ATUALIZE O PAPEL DO PROFESSOR

O papel do educador é insubstituível. É ele quem ajuda o aluno a compilar as informações que recebe e a construir o saber a partir delas. Lembra que a geração Z gosta de aprender por meio de exemplos próximos à sua realidade? Pois é justamente aqui que a atuação do professor se torna fundamental, uma vez que ele é quem consegue conectar as informações que o aluno absorve aos conteúdos da BNCC e da grade curricular que o aluno deve aprender.

Além de entender mais sobre a tecnologia em si, o professor também deve atualizar o seu papel em sala de aula. Sim, ele ainda é autoridade em sala de aula, mas é preciso desapegar daquele modelo de aula expositiva, em que só o educador fala e transfere conhecimento. Deixe os seus alunos participarem um pouco mais, compartilharem exemplos, fazerem perguntas que aproximem o conteúdo da sala de aula dos desafios que ele tem em casa.

 

Com a Conquista, você, sua escola e equipe ficam sempre atualizados com as tendências da educação e dicas para continuar entregando ensino de qualidade. Saiba mais aqui no blog, no Portal Conquista, na página do Facebook e no canal do YouTube!

 

COMPARTILHE ESTE POST

Relacionados: